Scanners profissionais para advogados se adequarem à lei de digitalização de documentos

Aparelhos deixam os documentos aptos a receberem a certificação digital e entrarem nos processos.

Em 2001, o Governo Federal instituía a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil, para garantir a autenticidade, a integridade e a validade jurídica de documentos em forma eletrônica. O grande objetivo, até então, era iniciar um processo de digitalização do país, principalmente no âmbito do judiciário, com os processos eletrônicos.

Já em 2012, uma nova lei nasce para regular a elaboração e o arquivamento de documentos em meios eletromagnéticos. “O processo de digitalização deverá ser realizado de forma a manter a integridade, a autenticidade e, se necessário, a confidencialidade do documento digital, com o emprego de certificado digital emitido no âmbito da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP – Brasil”, diz o Artigo 3º da Lei N 12.628/2012.

Essa determinação, somada aos avanços da tecnologia no judiciário, fez com que muitos advogados começassem a buscar os conhecidos certificados digitais, além de soluções para digitalizar os processos e documentos com validade jurídica.

E, para auxiliar os advogados brasileiros com a dificuldade em digitalizar os documentos, a Reis Office, empresa líder em soluções completas para impressão, digitalização, transmissão e armazenamento de documentos, conta com uma linha de scanners profissionais da Canon e da Brother que permite aos profissionais se enquadrar nas novas leis de digitalização de processos.

“Esse processo de receber petições somente pelo meio eletrônico com a certificação digital começou em algumas varas cíveis do fórum João Mendes, o central de São Paulo, e disseminou para todas as outras. Isso requer adequação por parte dos advogados, principalmente no quesito de digitalizar documentos nos moldes necessários para atender a lei”, afirma Rodrigo Reis, diretor comercial e sócio da Reis Office.

 

Os scanners profissionais da Canon, modelos P215, DR-C240, DRM160 e da Brother modelo ADS2000 são capazes de digitalizar entre 24 a 60 páginas por minuto, frente e verso. Além disso, eles também agregam em um único documento processos que contem mais de 50 páginas, deixando o arquivo mais leve e facilitando o armazenamento. Para garantir a conformidade com a lei de digitalização, os aparelhos ainda excluem manchas e leem perfeitamente o papel reciclado, facilitando a visualização em alta resolução. Os documentos são gerados em PDF, tornando-se aptos para a certificação digital.

A Reis Office ainda traz o scanner profissional portátil da Canon e da Brother, que permite aos advogados digitalizar os documentos de uma maneira eficaz e prática, até 20 paginas de uma única vez e gerar lotes com milhares de paginas, e realizando a digitalização frente e verso.

O executivo explica, ainda, que os advogados precisam ficar atentos quanto aos equipamentos ofertados no mercado. “Vemos que muitos advogados chegam com dúvidas e é preciso esclarecer. Não adianta comprar qualquer scanner, porque não atenderá à determinação para realizar a certificação digital e enviar ao Fórum. É preciso realizar um upload das informações, de forma que a integridade e segurança da cópia digitalizada sejam mantidas”, finaliza.

*Rodrigo Reis é Diretor Comercial e Sócio da Reis Office, empresa líder em soluções completas para impressão, digitalização, transmissão e armazenamento de documentos.


Como o gerenciamento de documentos pode ajudar os escritórios de advocacia

 

 

 

 


Confira nossas soluções de outsourcing

https://www.reisoffice.com.br/outsourcing

Compartilhar

Deixe uma resposta